Este espaço publicitário pode ser seu
Primeira página  |   Publicite connosco  |   Favoritos  |   Classificados  |   Estatuto Editorial  |  Login  | Registo Sábado, 24 de Outubro de 2020
Actualidade Política Concelho Cultura Desporto Entrevista Participe Nós
 

DIA DA MULHER IPCA é caso inédito no país
Exemplo único de liderança no feminino

Maria José Fernandes é a única mulher a presidir a um politécnico em Portugal.
Lotado e rodeado de muitas caras masculinas, assim se encontrava o auditório que deu lugar a uma conferência alusiva ao Dia Internacional da Mulher na Escola Superior de Tecnologia do IPCA, designada de “Os Direitos das Mulheres na Engenharia e na Gestão: Para Quando a Geração Igualdade?”. Este evento, ocorrido sexta-feira à tarde, contou com Maria José Fernandes, presidente do IPCA, como palestrante. Durante o seu discurso, confessou ser a “única mulher” em Portugal a presidir um instituto politécnico. O discurso de Maria José Fernandes foi pautado pela apresentação de dados relativos à igualdade de género no ensino superior, salientando-se nos mesmos o facto de que os níveis de empregabilidade dos docentes no ensino superior, politécnico e universitário, estão “quase equiparáveis” entre sexos. O IPCA, de momento, possui cerca de 58% de docentes do sexo masculino. No entanto, a percentagem de 65% de dirigentes do sexo feminino dá primazia às mulheres. Neste instituto politécnico, 48% dos alunos que frequentam uma licenciatura são do sexo feminino. No mestrado, os valores alteram-se para 56%. Na Escola Superior de Tecnologia (EST) do IPCA, “reinam” os homens, com apenas 11% de mulheres na licenciatura e 33% no mestrado. Apesar de existir um maior número de mulheres a seguirem estudos após a licenciatura, os valores apresentados na EST ficam aquém de uma igualdade de género. “Há uma tendência masculina, mas transitória”, concluiu Maria José Fernandes sobre a temática. De seguida, esta conferência, que conta com a moderação da docente Mariana Carvalho, traz a palco a engenheira e curadora do instituto, Ângela Brandão que, tal como a presidente do IPCA, elogiou a presença de diversas caras masculinas no auditório. “Nunca fui confrontada na minha vida profissional em aprofundar os direitos das mulheres”, referiu ao público presente, salientando que em outros continentes a problemática relativa à igualdade de género é “muito maior”. No entanto, confessou ter tido algumas dificuldades no curso de Engenharia Informática por ser mulher. A docente convidada no IPCA, Ana Trigo, apresentou à comunidade estudantil iniciativas de promoção à igualdade de género na engenharia, nomeadamente a IEEE Woman in Engineering (WIE); EQUAL-IST: Gender Equality Plans for Information Sciences and Technology Research Institutions; Portuguese Woman in Tech; Geek Girls Portugal; e o projeto “Engenheiras por um Dia”. A ex-presidente da Associação Académica do IPCA, Sara Ferreira, foi a última convidada a ter a palavra. A vice-presidente da Câmara Municipal, Armandina Saleiro, não compareceu na conferência como esperado, devido a “imprevistos de última hora”.
Autor: Diana Vilas Boas
Quinta-feira, 12 de Março de 2020 - 10:35:24

Notícias relacionadas
Ver comentários  |   Comentar Imprimir  |   Voltar...
COMENTÁRIOS
Nome: Apelido:
E-mail:
*escrever até ao máximo de 1000 caracteres
Ver comentários  |   Comentar Imprimir  |   Voltar...
 
 
Termos de utilização  |  Política de privacidade  |  Contactos | Informação institucional - Lei da transparência  
Termos de utilização    |    Política de privacidade    |    Política de cookies    |    Resolução Alternativa de Litígios    |    Livro de Reclamações On-line